Arquitetura sensorial. O que é?

O nosso lar influencia o nosso estado de espírito e o nosso estado de espírito influencia o nosso lar.




Seja bem-vindo ao mundo dos cheiros, texturas, sons, cores, sentimentos. Seja bem-vindo à arquitetura sensorial.

O lar é um lugar para sentir.

E sentir significa perceber por meio dos sentidos: visão, tato, olfato, paladar, audição e por que não um sexto sentido, a intuição.

A arquitetura sensorial pretende aguçar no seu lar todos estes sentidos. Faz do seu lar um lugar que fala com todos eles, vai além do espaço, além das reações. Ela quer provocar sensações.

Na prática, a arquitetura sensorial influencia o bem-estar das pessoa sem qualquer espaço, seja o tato ao tocar numa cadeira macia, o olfato ao sentir aquele cheiro de frescor e limpeza na casa nova, ou a visão de poder ver os raios do sol entrando, mesmo num ambiente interno.


Em sua jornada por transformar vidas e cenários, a arquitetura sensorial valoriza o subjetivo, o pensamento, as sensações.

Ela pretende proporcionar experiências marcantes para quem está naquele ambiente. A sensação de arrepio quando o sol bate na pele com um friozinho gostoso do vento leve, é mergulhar na água gelada, quando o corpo está quente, olhar, tocar e sentir o cheiro da natureza convivendo no mesmo ambiente que você.

É sobre o cheiro de café.

É sobre o barulho da chuva.

É sobre deitar no toque do lençol macio.

É sobre caminhar no corredor e sentir a luz externa da rua.

A arquitetura sensorial é sobre os detalhes do seu lar e as emoções que esses detalhes te proporcionam.

“Lar não é lugar, lar é sentimento”. Herbert Grönemeyr